segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Furacão Irma está a fazer muitos estragos nas Caraíbas poucos dias depois do furacão Harvey ter devastado algumas cidades do Texas.


As alterações climáticas estão a tornar os furacões do Atlântico mais destrutivos mas também a dar-lhe novas rotas. Num futuro incerto, há a possibilidade dos furacões do Atlântico chegarem aos Açores, embora de forma mais fraca, como tempestades, admite Filipe Duarte Santos, professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e especialista em alterações climáticas.

Filipe Duarte Santos explica que os furacões nascem junto a Cabo Verde mas seguem para Oeste, em direcção ao Golfo do México, por causa das águas quentes na linha do equador. "É provável que, no futuro, os ciclones tropicais cheguem à região dos Açores?. Podem ser tempestades fortes, mas não da gravidade do furacão Harvey nem do furacão Irma, esclarece Filipe Duarte Santos.

Filipe Duarte Santos explica que está a aumentar a quantidade de ciclones de categoria máxima, a categoria cinco. O motivo é o aumento da temperatura das águas superficiais do oceano.
Depois do furacão Harvey e do Irma, há mais dois a formar-se no Atlantico: o José e o Kátia.

Ainda não se sabe qual a magnitude máxima que vão ter até chegarem ao Golfo do México.

Fonte: Radio Comercial